ENTREVISTA COM PEDRO HUTSCH, IDEALIZADOR DO PROJETO BELTRANOS E BELTRANAS

Beltranos e Beltranas, do quadrinista Pedro Hutsch Balboni, é o terceiro livro da coleção independente e busca financiamento no Catarse

O quadrinista independente Pedro Hutsch Balboni convidou mais 50 artistas para reinterpretarem tirinhas selecionadas entre as mais de 1.200 tirinhas do seu trabalho, totalizando 150 artistas na coleção.

Os personagens são joaninhas, protagonistas da série online Joãos e Joanas (www.joaoasejoanas.com). O tom das tiras é de humor com filosofia, e a abordagem visual traz personagens estáticos, a história se passa nos balões de fala.

A proposta deste projeto é transformar esses insetos de acordo com o estilo de cada um desses artistas, mantendo o mesmo texto original.

O autor já tem mais de 10 livros publicados, todos de forma independente. Ele também tem outras três campanhas de financiamento coletivo no portfólio, todas bem-sucedidas, sendo esta sua quarta campanha.

Ela fica no ar até o dia 8 de setembro. Além de brindes exclusivos, descontos especiais, e ter o nome impresso nos agradecimentos do livro, existem metas estendidas que foram criadas para acelerar a campanha.

Para apoiar é só CLICAR AQUI!

 

Para descobrir mais sobre este grande projeto, entrevistamos o Pedro!

entrevista-com-pedro-hutsch-2
Ilustrada por Camilo Solano

 

Quais são as suas principais influências (obras e autores que lhe inspiram)?

Nos quadrinhos, para a parte de humor, minhas principais influências são Asterix e Calvin. Leio desde pequeno, e pra mim sempre foram as maiores referências. Em paralelo, fui absorvendo muitas outras coisas, muitas tiras que li pela Folha de São Paulo (Fernando Gonsales, Laerte, Liniers…), webcomics (Carlos Ruas, Fabio Coala, Will Leite, Guilherme Bandeira…) e outras tantas publicações de qualidade que conheci nos eventos de HQ. Fora do campo do humor, li muita história de super-heróis desde muito novo.

 

entrevista-com-pedro-hutsch-1
Ilustrada por Rafael Koff

 

De onde surgiu a ideia e como foi o processo de criação do universo e personagens de Beltranos e Beltranas?

O Beltranos e Beltranas é na verdade uma derivação do meu universo principal, o Joãos e Joanas. São tiras filosóficas e bem humoradas de joaninhas, e são na verdade minha trapaça para fazer quadrinhos, uma vez que não desenho, só escrevo. Minhas tiras são estáticas, e a história está quase toda no texto. Eu digo que é uma produção Fordista. A ideia de convidar outros artistas para redesenhar minhas tiras foi fazer justamente a brincadeira inversa: ao invés de uma abordagem visual sempre igual, trazer uma abordagem visual sempre diferente. Chamar os livros de “Fulanos e Fulanas”, “Ciclanos e Ciclanas” e “Beltranos e Beltranas” é uma variação mais clara do próprio “Joãos e Joanas”, por serem termos usados em nosso dia-a-dia. O que eu quis dizer ao criar esse nome estranho para o meu universo tem exatamente esse sentido – no caso, fazendo a analogia de que somos todos joaninhas, João ou Joana, envoltos de problemas existenciais e situacionais em comum. Como não há remédio para essa realidade, as joaninhas entram como um genérico. É o mesmo que dizer que somos Fulanos, Ciclanos ou Beltranos, todos na luta por uma vida melhor. Assim, é tudo uma variação do mesmo tema, bastante variada, mas acima de tudo coerente.

 

entrevista-com-pedro-hutsch-3
Ilustrada por Leonardo Amaral

 

Beltranos e Beltranas é um projeto que envolve 50 artistas, como é a experiencia de trabalhar com tantas pessoas?

É uma trabalheira. Mas é ônus e bônus. Esse é o terceiro projeto da coleção, completando 150 artistas ao todo. Fazer esse projeto me deu o privilégio incrível de trabalhar com muita gente que sempre admirei a distância. Por ser de curto envolvimento, muitos artistas que nunca achei que realmente se envolveriam acabaram topando o convite. O resultado de cada livro tem sido incrível. Quando um leitor descuidado pega para ler, talvez veja uns textos interessantes nuns traços OK. Mas cada página é um micro-universo à parte, e cada parte soma um todo que nunca imaginei que realizaria. Sinto muito orgulho desse projeto, e muita gratidão por tanta gente estar construindo ele.

 

entrevista-com-pedro-hutsch-4
Ilustrado por Brão Barbosa

 

Sabemos que o mercado de quadrinhos nacional é complicado, e por isso, nós autores temos que manter o equilíbrio entre o trabalho de quadrinista e outras responsabilidades. Como foi a sua rotina durante a criação de Beltranos e Beltranas?

Minha rotina é sempre complicada, prefiro nem pensar nisso, rs. Já tenho 11 livros publicados, mais de 1200 tiras no site, 8 concursos realizados, participação em mais de 40 eventos, um monte de outras coisas em paralelo… trabalho demais, muito mais do que planejei para mim mesmo, pois de dia sou CLT e também costumo esticar bastante meus turnos. Mas o sentimento de realização é algo que compensa o cansaço físico. Já fiz muitas coisas, realizei mais projetos do que poderia imaginar, e todos com a qualidade que procuro quando vou ler as obras de outras pessoas. Então acho que está equilibrado, muito mais trabalho do que o planejado, mas muito mais resultado também. Em algum momento terei que diminuir o ritmo, rs.

 

entrevista-com-pedro-hutsch-5
Ilustrada por Galvão Bertazzi

 

Outros projetos de sua autoria foram financiados através do Catarse e alcançaram resultados incríveis. Quais dicas você pode dar para autores que desejam realizar seus projetos através do financiamento coletivo?

Não tem mágica, e sim muito esforço e planejamento. A primeira coisa importante a se fazer é a imersão. Nunca apoiou um projeto? Apoie e entenda o que isso envolve, as alegrias e as frustrações de cada etapa. Poxa, apoie pelo menos uns 3 projetos, vale à pena. Além disso, é importante ler todo o material que o Catarse já disponibiliza gratuitamente na plataforma, tem muita coisa importante lá, provavelmente as dicas que eu posso dar estão melhor descritas no site. E olhe os projetos que estão no ar, e os aprovados, veja o que pode ser aproveitado para o seu projeto. Não para cópia, e sim para o mosaico que você vai precisar construir. Isso tudo é uma fase de imersão, e o ideal é que você faça ela direito, pois vai te trazer a maioria das respostas. E uma dica à parte que sempre dou é para fazer primeiro o que muitos artistas demoram para fazer: dimensione o seu projeto. Entenda qual vai ser o resultado final, se for um livro, qual tamanho, quantas páginas, materiais etc. Isso feito, orce quanto custa. Apenas sabendo quanto dinheiro você precisa levantar vai ser possível desenhar o restante da campanha. Pode não ser a coisa mais legal a se fazer, mas é a maneira mais pé no chão.

 

entrevista-com-pedro-hutsch-6
Ilustrada por Luciano Salles

 

O que você acha que falta para o mercado de quadrinhos nacionais se consolidar?

Faltam leitores, basicamente. Estamos em um momento de crescimento, mas sinto que, desde que lancei meu primeiro livro em 2012 até agora, a produção cresceu mais do que o público. Ou seja, a oferta aumentou, a demanda não tem acompanhado o mesmo ritmo. Tudo está melhorando, mas em proporções diferentes. Então, tenho essa sensação de que o que a gente precisa mesmo agora, ainda, é de leitores. E o que faz crescer o número de leitores? Conteúdo de qualidade. Esse é nosso papel como produtores de conteúdo, criar materiais que tragam e mantenham as pessoas no universo das HQs nacionais.

 

entrevista-com-pedro-hutsch-7
Ilustrada por Verônica Saiki

 

Por onde os leitores podem acompanhar o seu trabalho?

O site das joaninhas é www.joaosejoanas.com. Lá tem o link pras redes sociais. Também dá pra me seguir no Catarse, muitos dos meus projetos têm saído por lá: https://www.catarse.me/users/84979

 

Quer apoiar Beltranos e Beltranas e receber o seu exemplar impresso na sua casa? É só CLICAR AQUI! 

Se não puder apoiar financeiramente, divulgue o projeto para os seus amigos, será de grande ajuda!



Bruno Vieira Written by:

Fundador da Craft Comic Books e da Craft Autors.